Mystery Blogger Award

O que é o Mystery Blogger Award?

O ‘Mystery Blogger Award’ é um prêmio para blogueiros incríveis com postagens engenhosas. Seu blog não só cativa; Ele inspira e motiva. Eles são um dos melhores lá fora e eles merecem todo reconhecimento que eles conseguem. Este prêmio também é para blogueiros que acham diversão e inspiração em blogs e fazem isso com tanto amor e paixão. ~ Okoto Enigma.

 

É óbvio que fiquei muito honrado ao ser lembrado com esta premiação. Sempre é bom ser lembrado, não é mesmo? Porém, [com grandes poderes vêm grandes responsabilidades”- Homem Aranha] também vem a cobrança interna de que devo ficar cada vez melhor nisto, afinal, existem pessoas que gostam do que escrevo e, por isso, merecem o respeito de minha parte, ser mais cuidadoso e caprichoso! Acreditem, tento jogar os textos com o mínimo de erros, mas a correria aqui está maluca demais e me falta energia suficiente para corrigir e rever textos! Desculpem por isso, amiguinhos! :p

Tive duas indicações, que imaginava serem três, mas a outra indicação [da Dulce] pelo que entendi, é outro prêmio! Super legal! Adorei todas!!! 🙂

Meu ego, naturalmente inflado, agora está insuportável! kkk

As indicações destes prêmios vieram do Jauch – figuraça muito gente boa que escreve textos excelentes e muito criativos e da Juju, uma destas muitas almas queridas que surgem em nossa vida! Tudo o que eu disser se torna suspeito, porque acho o Blog dela o maior barato! Obrigado Juju! 🙂

Editei este texto para colocar as perguntas e agradecer a Mãe do Ludo e Vico

Como ele funciona?

  • Coloque o logo / imagem do prêmio no seu blog
  • Listar as regras
  • Agradecer a quem o nomeou e forneça um link para seu blog
  • Mencionar o criador do prêmio
  • Conte a seus leitores 3 coisas sobre você
  • Nomeie até 10 pessoas
  • Notificar os seus indicados comentando no seu blog
  • Peça a seus candidatos cinco questões de sua escolha; Com uma pergunta estranha ou engraçada
  • Compartilhe um link para suas melhores postagens

Mystery Blogger Award Badge 2

Criadora do Prêmio: Okoto Enigma.

Contar 3 coisas sobre mim:

  1. Apesar de falar mais do que a boca e rir de tudo, sou um cara introspectivo! E isso, meus queridos, é bem complicado de viver! 😛
  2. Lutei judô muito tempo, nadei pra caramba, surfei, andei de skate o suficiente e vivia em cima de uma bicicleta, aí você me pergunta: E daí? Ok, isso não evitou que eu fosse gordo a vida inteira – as vezes menos e em outras muuuuito mais! Tenho 1,74m de altura e já cheguei a 140Kg, em outra fase estive com 73Kg!!!!! Hoje tenho 96,5Kg e acredito que, por enquanto, é isso mesmo! kkkk
  3. Sou designer e tenho uma empresa com mais dois malucos, onde trabalho de manhã até às 0h. De segunda à sexta e estou ficando doido! Cansado pra caramba!

Respostas para o Jauch:

• Quando, onde e o que sentiste da última vez que olhaste para um céu estrelado?

Isso aconteceu ainda hoje, junto com minha família, ao sair da casa da Vó!

O céu estava lindo, todo estrelado e uma enorme Lua Cheia! Foi bem legal e me fez sentir saudade da praia, de quando surfávamos todos os Domingos, fazendo sol ou chuva! Tempos mágicos! 🙂

• Já abraçaste uma árvore?

Já abracei uma árvore por amor, por tristeza, por gratidão e por estar muito bêbado!kkk

• Com quantos paus se faz uma canoa?

Aqui em São Paulo [Um Estado do Brasil, onde eu moro], nas padarias [inclusive a grande maioria dos proprietários são portugueses] se você pedir uma canoa, você será servido de um pão sem miolo. E uma canoa com graxa é um pão, sem miolo e com manteiga! Creio que o pau da história só acontecerá se você não pagar a conta! kkk

• Se um duende irlandês bêbado tentar comer seus cadarços, o que você faz?

Suspendo a medicação imediatamente! :p

• Considerando a conjuntura mundial e os eventos mais recentes no Brasil, para que país você já pensou em fugir?

Minha irmã, que já morou em Portugal muitos anos, me disse das belezas desta terra linda e confesso ter ficado bastante interessado. Porém, adoraria acordar uns tempos no Hawaii! Creio que esta segunda opção é um delírio juvenil que permeia o meu imaginário até hoje! kkk

Obrigado, Jauch pelas perguntas e o prêmio. Foi uma bela experiência! 🙂

Respostas para a Juju:

Obs: Estou tentando ser rapidinho Juju! kkk

• Qual é a sua palavra preferida em Português?

Existem muitas e todas elas são importantes, com certeza! Mas, atualmente, a minha predileta é: Família! Esta é uma bem linda, né?

• Supondo que vc, pão de queijo e batata frita fiquem presos num barco que só tem lugar para vc e mais um dos dois. Quem vc jogaria no mar?

Se estas outras duas figuras fossem humanos, eu diria que a “treta” ia ser boa – não há a menor dúvida. Porém, se estes nomes se referem àquelas guloseimas, creio que alguém iria acabar na minha pança, porque sujar o mar é sem chances! kkkk

• Vc lava as mãos toda vez que sai do banheiro?

Impreterivelmente – sempre! “Sou pobre , mas sou limpinho”. Inventaram esta frase pensando em mim! kkk

• Qual a sua idade mental, seja sincero

Depende muito do momento! Com algumas sou mais velho que Matusalém em final de carreira, mas em outros – tenho que confessar –, sou um abestado de no máximo 14 anos!!! kkk

• Há vida mais inteligente em outros planetas?

Bom, os caras [Ets] até se esforçaram para me explicar isto, mas não entendi nada! kkkk

Valeu, Juju! 🙂

Respostas da Mãe do Ludo e Vico:

• Qual é a sua sobremesa favorita?

Quindim, mas também pode ser um maravilhoso Bolo de Fubá Cremoso!!! Viu? Você não está sozinha nesta! kkk

• Qual é o seu cheiro favorito?

Nossa… tem tantos cheiros que me agradam: Do mar, de mato, perfumes… mas o de café!!! Este é especial! 😛

• Descreva a pior roubada para a qual teve que ir para agradar alguém?

Vou ser sincero, já me meti em muitos lugares e situações que não queria estar: brigas, ficar com a irmã feia da namorada do amigo, gente não muito confiável… e muito mais!kkk

Por quanto tempo consegue guardar um segredo?

Para o resto da vida! Minha memória é horrível! kkk

Para quem ou o quê você pede ajuda quando se desespera?

Se a coisa é desesperadora, uma rezinha sempre cai bem. Porém, a família é tudo nesta vida! 🙂

Obrigado, minha amiga! Valeu as perguntas e adorei respondê-las! 🙂

Colocar um link para um dos meus textos que mais gosto

Isso é bem horrível, já que tem a ver com o gosto pessoal e não reverenciar os muitos outros textos que acredito terem ficado bem legais também, mas… regras são regras, não é mesmo?! Vamos lá! 🙂

Este texto é o preferido do meu filho, que em sua inocência, ri das palavras estranhas e da brabeza do Cabra da Peste:

Seu Agenô

Obs1: Os termos e palavras estão assim, estranhos e escritos errados, porque estão adaptados ao linguajar do personagem – ou uma tentativa. Aos estrangeiros que me acompanham… desculpem, mas não tem tradução!  :p

Obs2: Esta banda no vídeo são conhecidos e chegados, pode ouvir que o treco é bão! kkk

Indicar os 10 blogueiros que curto demais:

Aí lascou-se tudo!!! Tem um montão de gente boa e que merece a minha indicação. Desculpem aos que ficaram fora! :p

  1. Claudia: https://claudiaisadora.wordpress.com/
  2. Lucia: https://dolordegarganta.wordpress.com/
  3. Dani: https://adanibella.wordpress.com/
  4.  João Pedro: https://dentroeforadeaspas.wordpress.com/
  5. Triccia: https://passarosesilencios.wordpress.com/

  6. Juliane: https://juorosco.blog/
  7. Pedro: https://pratiqueobemhoje.com/
  8. Gabriela: https://febreinterna.wordpress.com/
  9. Manolo: https://manologo.wordpress.com/
  10. Dearrot: https://vomitosapaixonados.wordpress.com/

• • •

Minhas 5 perguntas para os indicados acima:

  1. Você pretende escrever um livro, ou já tem escrito? Se sim, está publicado?
  2. Mar ou montanha?
  3. Nescau ou Toddy? :p
  4. Se  você tivesse que reivindicar algo… Abaixo o que?
  5. Se você ganhasse sozinho a Megasena de final de ano… O que você faria com este dinheiro todo? 😛

É isto, amiguinhos! Espero que curtam a indicação deste prêmio e a viagem toda que ela proporciona!

Um abraço a todos! 🙂

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Foco!

Acordou disposto, mas foi para o banheiro cambaleando fazer sua higiene pessoal.

Olhou para o espelho e se orgulhou de sua barba.

— Que homem, hein? E riu de suas palavras, já que a frase era mais uma bobagem do que uma opinião formada.

Foco1

Ter uma opinião forte e verdadeira era algo que importava muito para ele, pois considerava que poucos tinham a oferecer neste quesito, por isso, poucos mereciam sua atenção.

– É muita arrogância? É… e daí?! E fez cara de poucos amigos ao reflexo do espelho.

Pensava que, inclusive ele mesmo, andava pela vida sem uma boa dose de bom senso ao emitir as suas verdades pela vida afora.

Em grande parte do dia apenas dizia algumas bobagens e palavras vazias – em nome da convivência agradável e o espírito da boa vizinhança.

Tomava seu banho em pleno devaneio, sem muita pressa, ao mesmo tempo em que recordava de seus colegas com um sorrisão no rosto, percebia o quanto isso era bem comum em seu trabalho.

— Como é rara esse tal de “ter uma boa opinião”, hein?

Imaginava o Sr. Carlos – o gerente geral do emprego que mantinha com unhas e dentes –, e gargalhou.

— Alguém precisa avisá-lo de que ladainha é diferente de opinião! Ficar rodeando um assunto igual mosca de padaria, não o tornava um formador de opinião.

— Mais foco, Sr. Carlos! Imaginava-se conversando abertamente com o seu gerente, ainda diante do espelho, e riu ao lembrar dos muitos discursos sem propósitos, enquanto seu melhor amigo fingia pegar no sono, ou fazia caretas, obviamente pelas costas do velho sabichão.

Foco2.1

O melhor era ver o amigo cumprimentar, todo empolgado e falsamente, o coitado do Sr. Carlos pelas ótimas palavras, lá nos finalmentes da reunião.

— Esse mundo corporativo é maluco e tem uns momentos muito infantis. Pode crer!

Com certeza, a parte dos egos eram as melhores, lembrava animado de várias situações que lhe pareciam bem vexatórias e em alguns momentos sem sentido – com alto teor de vergonha alheia –, e muito corriqueiras.

—A famosa guerra dos egos! Quem pode com isso? Disse isso em voz alta, enquanto abria um pouco mais o chuveiro, para curtir a forte e prazerosa pressão da água aumentar contra seu corpo.

Os almoços forçados com os superiores eram de doer na alma – e no saco.

— Baita situação constrangedora! Os caras sabem que nossos salários são bem menores e marcam estas “confraternizações” uma ou duas vezes por mês. E ainda por cima, em restaurantes que são completamente fora do nosso poder aquisitivo? Bando de babacas e bunda moles! Isso sim é o que são. Disse dando socos no ar, como estivesse brigando com um inimigo imaginário, tal qual o Sylvester Stalonne, em um de seus filmes do Rock Balboa, com seus treinos exaustivos de boxe.

De repente parou e perdeu o sorriso fácil ao constatar que aqueles encontros seriam bem mais proveitosos se fossem com a Laura, a secretaria do Sr. Carlos!!!

—Ah! A Laura!

E assim, seu banho já sem foco, durou mais alguns minutos além do imaginado.

Gratidão!

 

Quem me conhece de perto sabe que sou um cara muito comum, destes que vive o agora e não se entrega facilmente a emoções.

Não tenho em mim o habito de sair agradecendo a toda hora, para não dizer nunca, as pessoas e atitudes que tiveram comigo.

Então, você deve pensar, “baita cara ingrato e ignorante”. Ok! Aceito se isto te fizer melhor!kkk

Sempre tive uma teoria que carrego em silêncio, mas acho que é um bom momento de falar sobre isso – creio!

Nunca agradeci e acho muito errado, porque acredito que se eu o fizer, o universo retirará seus méritos. Ou seja, se eu agradeço, você acaba de perder a chance de sentir o gostinho de um retorno muito maior. Seu benefício acaba em mim, exatamente no ponto em que agradeço a ajuda.

Este é um ponto, mas existe um outro que imagino, também.

Se te ajudo, não quero agradecimentos – está tudo certo e vai ser feliz! Por isso, imagino que as pessoas não têm que esperar recompensas ao fazer algo legal. Apenas faça e cai fora. Isto passa a ser entre você e Deus.

Vivi isto por muito tempo e sabe de uma coisa?! Esquece esta teoria!

Agradeça, deixe a pessoa feliz e acabou ali. Nada mais! kkkk

– Pai, obrigado por ficar comigo esta noite!

Fiquei feliz por ver que meu filho era uma pessoa grata e querida.

Dei um beijo de boa noite e fui devagar para meu quarto, enquanto o via voltar a dormir profundamente.

– Obrigado e boa noite. Respondi baixinho para o mundo invisível que nos protege.

Palavras, quem disse que não mudam o mundo?

Meu filho está certo… lutarei para demonstrar mais gratidão.

Inspire…

Inspira e expira…

Dizia a voz aconchegante, suave e delicada vinda do meu fone de ouvido.

Sentia aquela energia envolvente entrar em meus ouvidos e que, aos poucos, retirava a consciência física e humana, para me colocar em um estado completamente relaxado.

Assim… fui desligando…

Percebia no oxigênio, força discreta, que diariamente enche meus pulmões e se traduz em vida.

Procurava não compreender e nem explicar para mim mesmo o significado do momento..

Inspirar! Ecoava a palavra em minha mente.

Paz e tranquilidade. Foi desta maneira que em algum momento da meditação, me perdi.

Vazio completo e inspirar… um ciclo constante.

– Inspire! Cochichou.

Silêncio.

Ouvi mais uma vez a voz em meus ouvidos – Inspire!

Apenas uma palavra e mil imagens aconteciam em minha mente.

As mais lindas almas pareciam surgir na memória.

Seres que, provavelmente, vieram ao mundo com o objetivo de iluminar, com seus atos de mais pura criatividade e, em muitos casos, por Amor ao seres vivos.

Como nuvens, desfocadas, suaves, aparentemente risonhas e livres.

De semblante tranquilo, um destes seres se aproximou e me disse mais uma vez:

– Inspire!

Sabia que aquela palavra, naquele momento, não se referia ao ato de puxar o ar para meus pulmões, mas a linda energia de trazer inspiração, ser fonte de empolgação e criatividade.

– Inspire!

Sentia a beleza de um ser próximo, uma fonte de Luz. Imaginei a energia que chamam de Deus.

– Deus?! Pensei.

Lembrei de todas as ideias que o representavam e, um pouco entristecido, deixei abalar meus pensamentos mais elevados – havia um bloqueio ali.

Deus. A maior fonte criativa do Universo.

Sem lutar com conceitos, parei de pensar e comecei mais uma vez.

Não busquei as costumeiras referências egoístas e cheias de cobranças que tenho comigo e segui outro caminho: Amor e inspiração.

– Inspire! Dizia a voz, mas desta vez se apresentava diferente, mais delicada.

Uma mocinha surgiu, sorriu e apontou para o horizonte.

O céu se abriu, como uma enorme tela, as silhuetas daqueles muitos seres começaram a ficar mais nítidas. Encantado e agradecido, comecei a vislumbrar grandes nomes da humanidade.

Artistas, escritores, cientistas, políticos, pensadores e líderes espirituais.

– Homens e mulheres incríveis. Afirmei para mim mesmo.

Pude ver, inclusive, referências pessoais que já passaram pela minha vida! Gratidão.

A palavra “inspirar” fazia todo o sentido naquele momento.

Uma leve brisa bateu em meu rosto, me despertando de maneira tranquila.

Abri os olhos calmamente e percebi, através da janela de meu quarto, que as árvores balançavam seus galhos no jardim, tal qual uma dança embalada pelo vento.

Este mesmo vento entrou em meu quarto, rodopiou animado, como se quisesse se fazer presente, me trazer de volta ao meu mundo.

– Inspire! Pude ouvir a voz suave, mais uma vez, como um cochicho em meus ouvidos.

Rodopiou de novo e partiu…

Me deixou ali,  pensativo e calmo…foi inspirar outras almas.

 

Os melhores Blogs de Maio

Falando em homenagem aos blogueiros do mês de Maio, creio que este vídeo seja o que mais mexeu comigo nestes tempos – graças a esta linda voz do cantor Rubi, que muito merece a minha humilde homenagem. Que toque seu coração também e te inspire ao infinito! 🙂

Estava tomando um café com um amigo – vicio danado –, quando ele me perguntou o que tenho lido ultimamente.

Confesso que estive bem enfiado no mundo dos Blogs e acompanhei muitas histórias, curiosidades e opiniões pela internet.

Este mês, por exemplo, foi incrível! Conheci muita gente nova, conversei com alguns mais antigos e os acompanhei, até mesmo, fora do mundo do Blog, em suas páginas pessoais. Em alguns casos, apenas li suas histórias sem dizer nada.

Nunca tinha feito isto, mas achei legal a ideia de mostrar para os que me seguem, aqui no Patriamarga alguns Blogs que acho interessante e que valem a pena seguir.

Como esta é a primeira vez que faço isto, vou apontar aqui também alguns Blogs que já conheço faz um tempo, junto com os que mais li em Maio.

Vejam com carinho estas pessoas incríveis e suas histórias. Muitos, provavelmente, escrevem com bastante atenção e têm a preocupação de passar ótimos conteúdos.

Seres humanos queridos e pessoas, assim como você, que merecem respeito, atenção e carinho com seus textos!

Segue aí:

O Alan é o escritor do Blog:

https://anatomiadapalavra.wordpress.com/

Este foi a inspiração para fazer este post. Vi em seu Blog um levantamento do mês e achei bem legal! Juntei a pergunta de meu amigo sobre o que eu estava lendo e a inspiração do texto do Alan e criei esta homenagem aos meus colegas de escrita.

Se inscreve no Blog dele porque vale a pena! 🙂

Descrição do próprio autor:

Este blog foi criado para falar sobre literatura. Aqui publico resenhas sobre livros que li, alguns contos que escrevo e também alguns posts com teor mais reflexivo. Espero que apreciem cada post. Também espero possuir vários leitores. Fico feliz a cada visualização, a cada like e a cada comentário. Isso me motiva ainda mais a escrever. Não deixe de dar o seu feedback.”

A Darlene escreve (e muito bem) no Blog:

https://devaneiosepoesias.wordpress.com/

Seus textos são muito criativos e agradáveis, além de ser uma pessoa muito querida.

Poeta e escritora, tem um Blog muito bom de ler! Indico com a certeza de que vai agradar!

Descrição da própria autora:

“Brasileira, nascida em São Paulo em 25/11/1986, residente há 14 anos na cidade de Santos. Autora dos livros “Bianca – Um amor que sobrevive aos séculos” (romance) e “Para um Doce Cavaleiro” (Poesia), ambos publicados pela Editora Clube de Autores. Formada em Direito, apaixonada pelo mundo das artes e das letras dedica-se desde muito jovem a escrever poesias e pequenos contos. Atualmente, estuda canto e violão. O espaço Devaneios e Poesias é um desdobramento da página de mesmo nome que a autora mantém na rede social facebook e tem como principais objetivos a divulgação de seus textos e o incentivo à busca por entretenimento de qualidade através de dicas literárias, comentários sobre eventos culturais (principalmente regionais), comentários sobre séries e filmes e, futuramente, divulgação de artistas e bandas pouco conhecidos ou alternativos.”

Paulo é o escritor do Blog:

https://sonhosdesencontrados.wordpress.com/

Seu Blog é muito bem escrito. A leitura flui, é agradável e as palavras encantam!

Admirável!

Descrição do próprio autor:

“Paulo Vasco Pereira é professor. Pelo menos, assim o dizem.

Dividido entre os ramos das ciências exatas e humanas, a escrita sempre foi o meio de expressão capaz de dar forma a alguns dos seus sentires, bem como exorcizar os fantasmas que norteiam a sua existência.

Sonhos Desencontrados é um espaço de opinião, discussão, vivências, musicalidades e olhares. Um blogue entre e como tantos outros, construído ao sabor da decadência do estado de espírito do autor, ao sabor dos seus dias e respetivas. Sem quaisquer ambições comerciais e muito menos do politicamente correto. O autor é caraterizado pela sua frontalidade, apreciada por muitos mas odiada por muitos mais. Contudo, este traço vincado da sua personalidade não está disposto a a atenuar, bem como a luta pelos direitos das causas em que acredita.”

Palhão escreve no Blog:

https://lucaspalhao.wordpress.com/

Tem ótimas ideias, iniciativas, respeitável multi-homem(rsrsrs) e faz a coisa acontecer!

Uma ótima dica!

Descrição do próprio autor:

“Chamo-me Lucas e sou marido, engenheiro de telecomunicações, técnico em eletrônica, professor de inglês, matemática e física, escritor, revisor, tradutor, gamer, leitor, otaku, geek, nerd, yogi e apaixonado por café com leite. Procuro escrever artigos para o Blog do Palhão de acordo com o seguinte plano:

  • Segundas-feiras: carreira e finanças;
  • Terças-feiras: ciência e tecnologia;
  • Quartas-feiras: tema livre;
  • Quintas-feiras: filosofia, psicologia e literatura;
  • Sextas-feiras: filmes, livros, seriados e games;
  • Domingos: resumo semanal.”

A Gabriela escreve no Blog:

https://febreinterna.wordpress.com/

Delicadeza, suavidade e uma alma querida. Fora o bom gosto visual que seu Blog esbanja em cada detalhe. Lindo!

Descrição da própria autora:

“Sou uma esponja hiper absorvente que deveria – e tenta – ser um filtro.

Escrevo sobre minhas observações e divagações diárias. Fui agraciada com o maravilhoso dom da loucura contida.

A febre interna não existe cientificamente. Está escrito em artigos médicos, revistas e sites de saúde.

Ainda assim, as pessoas sentem.”

 

O Blog da Claudia : http://defrenteparaomar.com/

Acho ela sensível, sempre antenada na moda e dicas super legais.

Curto ver as dicas dela!

Descrição da própria autora:

“Aos 50 anos , ainda acho que tenho 25 e  quero chegar aos 100 –  de frente para o mar, claro!”

O Blog do Fábio: https://agorababou.com/

Esse cara é sensacional, inspirado e tem lindas poesias

Conheci este mês e curti demais!

Descrição do próprio autor:

“Antes de mais nada, é bom deixar claro que este blog é politicamente incorreto. Essa é a sua natureza mais fundamental. Ele não tem partido, não tem ideologia, e nem nada parecido. Meu único objetivo é fazer com que as pessoas pensem. Não faço a menor questão de que concordem comigo – que isso também fique claro, e comentários de qualquer natureza serão bem recebidos. Desde que não sejam ameaças de morte e coisas do tipo, claro. 🙂

Jauch é o dono deste Blog.:

https://eduardojauch.blog/

Muito legal, cheio de contos e excelentes ideias.

Suas histórias são interessantes e vale a pena seguir.

Descrição do próprio autor:

“Este é um blog sobre um Eduardo. o Jauch.
O que ele pensa.
O que ele faz.
O que os outros pensam e/ou fazem que ele acha que vocês iam gostar de saber.

Você pode estar se perguntando… “Mas e daí? O que é que ele tem de diferente ou especial?”.

Tudo. Nada. Importa?

Sejam bem-vindos e voltem sempre.”

Ela tem dois filhos (Ludo e Vico).

https://ludoevico.wordpress.com/

Escreve textos bem interessantes e variados.

Leia e curta, porque são temas bem legais e inspirados.

Ótimo trabalho!

Descrição da própria autora:

“Ludo e Vico são os codinomes dos meus filhos.

Esse blog foi inspirado neles e nas minhas lembranças da infância e da adolescência.

Escrevo sobre os livros preferidos, os passeios inesquecíveis, as brincadeiras que cabem em qualquer lugar e os projetos para experimentar com os meninos.

Além de mãe, sou advogada, tradutora e estudante de Pedagogia.

Amo escrever, pesquisar e compartilhar ideias.

Sejam bem vindos!”

 

João Pedro é o dono do Blog:

https://dentroeforadeaspas.wordpress.com/

Textos em forma de cartas para amigos (gosto muito desta ideia).

Temas sobre ele mesmo, sua visão de mundo e as coisas que giram por lá. Bem legal!

Descrição do próprio autor:

“Bem, na realidade não há muito para dizer… Sou um jovem adulto que sempre viveu fascinado pelo conhecimento e, por isso, sempre gostei de saber o porquê das coisas. Como resultado, hoje sou um apaixonado pelas ciências, mas o que muitos não sabem é que na minha vida sempre persistiu uma outra paixão. A escrita! A verdade é que por trás de todo este conhecimento se esconde uma pessoa que quer demonstrar ao mundo a sua forma de pensar sobre as coisas e sobre os outros. Assim nasceu o “”Dentro” e fora de aspas”, onde poderão conhecer um pouco do escritor e filosofo que há em mim!”

A Francine é a escritora do Blog:

https://papodefran.com/

Imagina uma pessoa competente na arte da escrita – Essa é a Francine!

Textos bem colocados, escrita leve, gostosa de ler, uma pessoa incrivelmente doce e carismática! Vale muito a pena seguir.

Descrição da própria autora:

“Sou uma menina já crescida, com alma aérea e sonhos idosos. Ainda não aprendi a ser quem eu sou, mas trabalho nisso a cada segundo. Quando me decepciono, recrio, reinvento a mim mesma. Talvez hora ou outra eu acerte, talvez seja assim, algo assim sem certeza.”

Juju é a dona do Blog:

https://blogdapatinatrix.wordpress.com/

Adorável, criativo e bem humorado – Todo Domingo tem uma historia nova!

E ela é uma simpatia!

Descrição da própria autora:

“Meu nome é Ju, eu vim pra confundir! Eu sou de Betim, mas tô de boa, na terra da garoa.”

A Roseli escreve em seu Blog:

https://sacudindoasideias.wordpress.com/

Eu a vejo como uma pessoa querida, que se cuida, observadora encantada com o mundo à sua volta e nos encanta com seus textos tão pessoais e únicos… uma lindeza! 🙂

Descrição da própria autora:

“Que embarque comigo nessa viagem literária. Aviso que são experiências que faço, brincadeiras linguísticas que mostrarão muito do que sou.”

O Fernando (ChronosFeR) é o responsável pelo Blog:

https://chronosfer.wordpress.com/

Gosto de suas fotos e ainda mais das ótimas referências musicais que ele posta por lá! São muitas descobertas interessantes!

Vale a pena conhecer e seguir seu Blog.

Descrição do próprio autor:

“Música, literatura, fotografia, destinos, cotidiano. Tempo em todos verbos.”

O Hang Ferrero é o escritor do Blog:

https://opontoafinal.wordpress.com/

ou o site:

https://www.hangferrero.com.br/

Este é um dos meus poetas prediletos.

Textos incríveis, boa pessoa e, acima de tudo, um excelente interprete de seus poemas (os vídeos dele recitando são bem legais). Um dos melhores que já tive a oportunidade de conhecer.

O conheci despretensiosamente pela internet e me tornei fã declarado.

É uma boa ideia seguir esta figura incrível!

Descrição do próprio autor:

“Nascido em Laguna , aos 13/04/72 , berço da República Juliana , de Anita Garibaldi , dos casarios antigos , das águas por todos os lados e toda monta de seres do imaginário nativo ; acredita que por conta dessa atmosfera providencial , tenha alimentado a verve poética , como a um sacerdócio .

Sem sofismas , é Hang Ferrero!”

Estes são apenas alguns dos que tive a oportunidade de ler e acompanhar este mês que passou (e tem muitos outros, mas deixarei para o fim deste mês).

No final de Junho espero conhecer e rever mais pessoas queridas.

Aguardemos! 🙂

 

 

 

 

 

 

 

Tudo no tempo certo.

Dona Josefa era mulher rústica, trabalhadora braçal desde sempre, ou melhor dizendo, era assim que gostava de se apresentar para si mesma a vida inteira, já que quase nunca se encontrava tranquila e descansando. Achava uma perda de tempo ficar à toa.

Nunca entendera sua condição como algo ruim ou que devera se queixar com as poucas pessoas de seu convívio.

Casara-se muito cedo com o Seu Zé e não fora por amor, mas por necessidade. Coisa que não achara ruim em momento algum, já que pretendentes nunca tivera.

Morava em lugar muito afastado do mundo – um terreno tão distante de tudo que ninguém chamava o local pelo nome do bairro, ou povoado, apenas de Roça, já que as plantações – sustento dos que ali viviam e dependiam das colheitas feitas regularmente – eram o que se podia ver para qualquer lugar que olhasse.

Ela era vista como uma força extraordinária por todos, em qualquer lar e lugar que já vivera, principalmente da casa de seu marido, uma casinha muito simples de madeira, cercada por um terreno lotado de galinhas, uma horta de dar inveja, uns porquinhos e uma vaquinha por detrás do arame farpado.

Seu coração era bom, mas a cara era fechada, com sorrisos disfarçados e escondidos pela mão calejada.

Era mãe querida de dois meninos – o moço de 12 anos, Antônio e o menino de 9, o garoto mais feliz do mundo, Zé – tal qual o pai -, seu herói.

Nunca fora sentimental e nem se abalava com facilidade, desde pequena acostumada com a vida dura e de pouco luxo a transformara em uma pessoa fria, – até aquele dia.

Seu marido lhe trouxera notícias de seu filho mais velho, estava apaixonado por uma alguma menina da vizinhança.

Quando recebera o recado não se mostrou abalada para o Seu Zé, apenas ouviu, depois deu as costas e voltou para seus afazeres, mas dentro dela surgira uma coisa ruim, um sentimento péssimo em seu peito, com pensamentos estranhos que a abalaram.

Talvez, tenha se lembrado do tempo em que fora prometida para o Seu Zé, o quanto era criança e nem sequer pensava nestas coisas do “Amor”. Mesmo depois de tantos anos junto com seu marido, e até apreciava a convivência, não entendia direito essa coisa de gostar desesperadamente. Achava uma bobagem, pois imaginava que se tivesse que voltar para a casa de seus pais, o faria sem grandes sofrimentos.

No mundo executivo, talvez fosse admirada pelo seu senso prático e determinado, mas em sua condição humilde, de trabalhos cotidianos e manuais, apenas uma alma rústica sem coração? É possível, quem sabe?

– Sem coração! Disse para si mesma ao refletir sobre seus pensamentos duros em relação as emoções de seu filho.

– Ô menino besta! Tanto pra viver e se metendo em encrenca? É cedo demais, rapaz.

Olhou sobre a mesa da cozinha e lá estava a marmita do Tonho. Arroz, feijão, frango, ovo e um pedaço de bolo de milho enrolado no pano de prato.

– E pensa que é gente. Não tem responsabilidade, este cabeça de vento!

O dia mal havia começado, mas tudo indicava que seria um dos mais longos de sua vida, pois contrario ao seu estilo prático e aparentemente frio, sentira que deveria averiguar o que estava acontecendo com seu menino mais velho, por isso, resolveu segui-lo com o pretexto de levar a marmita até o rapaz.

Acelerou o passo até alcançá-lo e lá adiante descobriu seu filho na cerca do vizinho. Se tratava da casa da família nova que os boatos tanto falavam. Seu marido lhe dissera sobre eles num jantar destes.

Olhou bem e descobrira que uma jovenzinha estava por ali, próxima à cerquinha de madeira, onde seu filho estava encostado.

Vira quando a menina entregara um pedaço de papel pro Tonho.

Sentiu medo pelo filho e muitas coisas ruins se passaram na cabeça de Dona Josefa.

Medo de que seu filhinho sofresse, que não fosse tão forte quanto ela fora a vida toda, que se entregasse a uma menina ruim, que a vida do rapazinho fosse tão difícil quanto ao que ela vivera durante anos.

Sua fortaleza, aquela mulher de coração duro, sumira, desaparecera, pois havia partido ao meio… bem ali naquele instante. Sentindo um medo que jamais tivera, se escondeu atrás de uma árvore, não queria que descobrissem que também podia ser fraca.

Voltou para sua casa fragilizada e, neste dia, pela primeira vez em sua vida, não fez direito o serviço de casa, já que a insegurança e o medo tomara conta de seu ser.

Passara o dia inteiro se ocupando sobre aquele assunto. Pensava como tudo estava fora dos eixos e nada podia ser diferente, enfraquecida como nunca, era uma mãe de verdade, como todas as outras – com pensamentos aflitos de uma mãe comum, quando sua cria está em perigo e prestes a sofrer uma grande decepção – imaginava que deveria apoiar e proteger seu filho, mas sem a menor ideia de como agir, apenas esperou o menino voltar do trabalho e entender a situação.

Não queria se omitir ao cuidado e carinho, assim como sua mãezinha fizera no passado ao apoiar sua retirada de seus braços, de seu lar, daquela maneira fria e do dia para a noite.

– Pobre mãezinha querida!

Aguardou impaciente e o viu chegar um pouco mais tarde do que o normal. Contrariada, evitou cruzar olhares – como se estivesse com medo de que seus pensamentos fossem descobertos, sendo assim, apenas colocou o jantar na mesa, como sempre, e foi para seu quarto.

Logo depois que percebera o rapazinho dormindo, entrou de fininho em seu quarto e puxou do bolso de sua calça a tal cartinha que vira a menina entregar na cerca.

Sentindo suas mãos trêmulas, leu com dificuldades toda a cartinha:

“Menino lindo que apareceu em meu portão

Despertaste coisa nova e esquisita em mim

Dorzinha estranha que aqueceu meu coração

Que nunca terá remédio, cura e nem fim.

Caso me vês como sua amada

Saiba, isto também me consome

Traga notícia boa e desejada

Já que por ti, meu peito quase explode.

Sua adorada:

Glória, eterna apaixonada.”

Uma confusão de sentimentos! Não sabia como lidar com aquilo: Menino, lindo, coração, desejada e apaixonada – muitas palavras reveladoras e um instinto de mãe apitando… estava alerta!

Pensou em rasgar a carta e sumir com ela, mas respirou fundo, se controlou e colocou de volta no bolso do menino.

Naquela noite, foi dormir perturbada.

No outro dia, um pouco mais calma, teve uma ideia. Como era sábado, decidira que iria visitar a nova família que se mudara para a vizinhança – a família da “eterna apaixonada” –, para ver de perto que tipo de família se tratava e, ao mesmo tempo, se podia confiar.

A contragosto de quase toda a família e mesmo sob a reclamação de Seu Zé, iriam todos naquele passeio.

Seu Zé achou estranho, porém, por reconhecer aquele súbito e raro ânimo de sua esposa surpreendente, não teve como recusar a decisão firme de sua esposa, conformou-se e resolvera contribuir com aquela chateação, bem no dia de seu descanso.

Todos pareciam irritados com aquele passeio sem prévio aviso, menos o jovem Tonho, que quase pulara de alegria e ansiedade ao saber de tamanha “coincidência”, desta maneira, foram logo cedo conhecer os novos vizinhos.

Dona Josefa, prendada e boa cozinheira, havia feito um delicioso bolo de fubá para o evento.

Chegaram de surpresa, mas contrario do que se pensa, foram recebidos com grande felicidade e receptividade pela família da menina, que quando viu o seu amado entrando porta adentro, quase desmaiara de susto, mas soubera disfarçar muito bem sua alegria.

O dia correra melhor do que o esperado, sendo que as famílias tiveram grande entrosamento e dali surgiram grandes amigos.

Dona Josefa, para a surpresa de todos, se mostrara muito querida, falante e uma ótima alma acolhedora, talvez pelo desejo sincero de que seu filhinho querido não encontrasse na vida a rejeição e a desagradável sensação de ser empurrado de encontro a um ambiente desconhecido e sem apoio, assim como vivenciara em sua vida conjugal.

Viu assustada seu filho beijar a tal menina nos fundos da casa e até encobertou o flerte de seu filho, chamando a atenção para outros lados da casa, trazendo consigo os pais da Glorinha, como chamavam a menina.

A visita terminou bem e ela saiu aliviada, acreditava ter sido uma ótima ideia ter ido conferir a tal da família e, ao mesmo tempo, por ter dado um passo importante na vida de seu filho, sem ter que se expor, ou ter que cobrar qualquer resposta dele.

Fosse como tivesse ser o futuro, estava segura de que havia feito o certo e ela estava orgulhosa de si mesma, por estar ao lado de seu filho, mesmo que ele nunca viesse a saber sobre suas verdadeiras intenções ao fazer aquela visita.

– Ele tem uma família e tem nosso apoio. Que isto fique claro.

Já em sua casa, viu Tonho rindo para as paredes, sonhando acordado e encantado.

O sol estava na linha do horizonte, os reflexos batiam na pele morena do menino,  revelando seus traços bem feitos. O corpo forte para a idade – provavelmente fruto do trabalho braçal – cabelos lisos na altura dos ombros e olhos claros.

Ela o admirou e se orgulhou de seu rapazinho, enquanto pensava:

– Crescido e forte… bonito!

A menina tinha razão de se apaixonar. Sua cartinha estava certa, porque seu filho era exatamente como o poema revelara.

– Um menino lindo!