Chegou curvado, cabelo meio raspado, um pouco desgrenhado e chapéu torto.

Seu olhar… ah! Aquele olhar dizia tanta coisa, tanta vida experimentada e ninguém poderia lhe retirar isto.

Simplicidade e um violão arrastados para onde quer que fosse.

Sua presença era um baque, uma lição, alguém de tremendo poder enfiado em uma figura de delicada fraqueza.

Chapeuzinho no chão e canções que mexiam com as emoções. Voz divina, tremida nos tons mais altos e muito poderosa ecoando por toda rua, por todo bairro e onde passasse

Nunca o vira, nem o ouvira jamais, mas a gratidão da surpresa me encheu os olhos.

Lembranças que me envolveram e fizeram a mente voar! Pessoas, família e amor… chorei!

Sim! Chorei discretamente emocionado, como há muito não fazia.

Sentimento de gratidão? Exatamente isto! Não por ser perfeito, nem completo e pleno, mas por ser assim, tão errado! Porém, não carreguei arrependimentos, mesmo sabendo que poderia ter sido bem melhor, mas por reconhecer que, apesar dos defeitos incorrigíveis, eu os vivi intensamente sem os notar.

Depois de tanta dor o sorriso volta a me iluminar.

Homem bom, canto divino, bem executado e inspirador.

Obrigado!

Anúncios