Cabreiro, cara fechada e quase incompreensível

Pois é, já fui destes… calado e mal encarado

Ei! Isto parece horrível?

Era sem ninguém ao meu lado!

Então, olha pra frente e caminha.

Aí, desconfiado?!

Quem faz não desanima, se aproxima, tá ligado?

Sei dos dias ruins, de não estar a fim e no barato.

Fugir, sair daqui e ir pro mato.

Qualquer coisa que eleve e faça contato.

Quem sabe um Et num disco, uma nave?

Uma alma mais avançada e suave.

Destas que conhece meu cansaço e fadiga

Anybody there? Grito, tal qual um Rap, uma cantiga

Por alguém que me ajude a ser mais equilibrado.

Repito em prece constante, ato mais cabido.

Para ter mais fé. Sabe como é, meu amigo?

Lembro saudoso por já ter crido

Num tempo de esperança e aguerrido

Hoje, um tanto cabisbaixo e aborrecido.

Desequilibrado como o velho que grita:

Quero cafééééééé!

Atrapalhado, confuso e Gagá

Não por ódio, mas por desejar ser mais querido.

Talvez, tenha que deixar de questionar

E coisas do tipo.

Seguir sem conflito e nem atrito.

Arrumar o que está esquisito

Ser mais corado e elegante

Tipo herói: – Para o alto e avante.

E desde já peço a Deus, que oxalá

Proteja o caminho e meu blá blá blá.