Inspira e expira…

Dizia a voz aconchegante, suave e delicada vinda do meu fone de ouvido.

Sentia aquela energia envolvente entrar em meus ouvidos e que, aos poucos, retirava a consciência física e humana, para me colocar em um estado completamente relaxado.

Assim… fui desligando…

Percebia no oxigênio, força discreta, que diariamente enche meus pulmões e se traduz em vida.

Procurava não compreender e nem explicar para mim mesmo o significado do momento..

Inspirar! Ecoava a palavra em minha mente.

Paz e tranquilidade. Foi desta maneira que em algum momento da meditação, me perdi.

Vazio completo e inspirar… um ciclo constante.

– Inspire! Cochichou.

Silêncio.

Ouvi mais uma vez a voz em meus ouvidos – Inspire!

Apenas uma palavra e mil imagens aconteciam em minha mente.

As mais lindas almas pareciam surgir na memória.

Seres que, provavelmente, vieram ao mundo com o objetivo de iluminar, com seus atos de mais pura criatividade e, em muitos casos, por Amor ao seres vivos.

Como nuvens, desfocadas, suaves, aparentemente risonhas e livres.

De semblante tranquilo, um destes seres se aproximou e me disse mais uma vez:

– Inspire!

Sabia que aquela palavra, naquele momento, não se referia ao ato de puxar o ar para meus pulmões, mas a linda energia de trazer inspiração, ser fonte de empolgação e criatividade.

– Inspire!

Sentia a beleza de um ser próximo, uma fonte de Luz. Imaginei a energia que chamam de Deus.

– Deus?! Pensei.

Lembrei de todas as ideias que o representavam e, um pouco entristecido, deixei abalar meus pensamentos mais elevados – havia um bloqueio ali.

Deus. A maior fonte criativa do Universo.

Sem lutar com conceitos, parei de pensar e comecei mais uma vez.

Não busquei as costumeiras referências egoístas e cheias de cobranças que tenho comigo e segui outro caminho: Amor e inspiração.

– Inspire! Dizia a voz, mas desta vez se apresentava diferente, mais delicada.

Uma mocinha surgiu, sorriu e apontou para o horizonte.

O céu se abriu, como uma enorme tela, as silhuetas daqueles muitos seres começaram a ficar mais nítidas. Encantado e agradecido, comecei a vislumbrar grandes nomes da humanidade.

Artistas, escritores, cientistas, políticos, pensadores e líderes espirituais.

– Homens e mulheres incríveis. Afirmei para mim mesmo.

Pude ver, inclusive, referências pessoais que já passaram pela minha vida! Gratidão.

A palavra “inspirar” fazia todo o sentido naquele momento.

Uma leve brisa bateu em meu rosto, me despertando de maneira tranquila.

Abri os olhos calmamente e percebi, através da janela de meu quarto, que as árvores balançavam seus galhos no jardim, tal qual uma dança embalada pelo vento.

Este mesmo vento entrou em meu quarto, rodopiou animado, como se quisesse se fazer presente, me trazer de volta ao meu mundo.

– Inspire! Pude ouvir a voz suave, mais uma vez, como um cochicho em meus ouvidos.

Rodopiou de novo e partiu…

Me deixou ali,  pensativo e calmo…foi inspirar outras almas.

 

Anúncios