Ei! Calma lá… “sou de boa”, creia!

Caminho sem grande vontade rumo à escola e com outra determinação dos dias de “rolê” de skate com os amigos… foi mal!

Lá, com a galera, sou risonho e agitado, coisa que em nada se assemelha ao cara de rosto pálido e sem expressão na hora do estudo. Ali, sou um monolito de pernas e desanimado demais… foda!

Tinha que ter alguma coisa que me empurrasse para frente, me motivasse… malditas aulas e métodos em que minha vó foi alfabetizada. Acredite, creio demais nos esforços de meus professores, só que nossos interesses não batem… ainda!

– Não tem ninguém inteligente o suficiente que possa mudar isto? Penso desanimado.

Tento, me esforço e quero ser, fazer e acontecer, mas não passo da página 2… tão aquém de qualquer um que frequenta as mesmas experiências, os mesmos desafios, mas aparentemente com tanta facilidade.

– Qualé, Jesus? Me diz aí, como eu melhoro isso?

O pai que cobra, a mãe que berra e o professor que parece me odiar.

– Sou uma ameba?

Cara, eu tenho muita coisa para dizer e mostrar. Olha dentro dos meus olhos e veja o quanto eu amo a vida, sou cheio de energia e vontades. Mas, aguentar esta coisa monótona às 7h da madrugada? Tá de brincadeira?

– Pelo amor de Deus, alguém aí sabe do que eu estou falando? Ajuda aí!

Meu nome é Tom. Me apresento assim, melhor… o nome de batismo é de lascar. Meus pais tem muita criatividade, não salvou um irmão, todo mundo com nome “exótico”!

Ei! Não quero mudar o mundo, não sou destes, nem sei direito mais o que incomoda de verdade… já é assim mesmo, não conheço outra história, a gente acostuma com essas coisas que se vê por aqui.

Desculpa a falta de uma opinião formada sobre a descriminalização, criminalização e os cacete! Só sei seguir em frente e aproveitar as “paradas” que estão aqui na minha mão, agora, já… futuro é conta de luz, água e gás pagos” – Diz meu pai.

Pesado? Pois é! Nem queria falar disso, acho que você nem vai entender.

Tá achando a coisa feia? Sou moleque branquinho e gorducho, mas se tá ruim aqui, pode crer que pra uns a coisa é ainda mais embaçada!

Ontem vi meu camarada tomar um enquadro do segurança da loja. Ele “estava suspeito”, vestia uma pele negra no meio do comércio.

– Os negros passam por essas, mesmo!

Nada disse logo depois que foi liberado… nada a declarar. Não tenho um vocabulário tão bom assim e nada melhoraria a situação. Caminhamos calados e em frente… sempre em frente.

E lá na frente, o que será? O que nos reserva? Eu na minha “burrice”, quase dormindo de novo na cadeira e meu amigo se lascando à sua maneira.

De verdade… não entendo quase nada. Tudo me parece um mistério a ser desvendado, acho que estou lascado também.

Pelos métodos que estão rolando por aqui, tá difícil. Uma mágica, um Mestre, um golpe de sorte do destino?

– Ei, Ets… se quiserem invadir e mandar umas “paradas” novas, estou aqui para os testes, porque a humanidade está ocupada demais ganhando dinheiro e defendendo o próprio rabo, mas eu acho que não faço parte dos interesses gerais.

Os motivos? Sei lá! Continuo em frente… só na correria! 😦

Anúncios