Escrevo! Isso é um fato, mas se bem ou mal… já não sei!

Escrevo porque tenho uma mente incansável que precisa expor as muitas ideias que surgem por aqui… é verdade!

Escrever é uma arte que não domino, já que me considero um eterno aprendiz e, por isso, me curvo humilde ao saber que uma outra pessoa também escreve, como se admitisse as minhas limitações e dificuldades, para acreditar que este deve ser muito melhor. Talvez complexo de minha parte, talvez por ser deficiente mesmo… quem sabe?

Por ter estas dificuldades, fico imaginando as muitas maneiras que a Língua Portuguesa chegou ao ponto em que está… perfeita!

É bem verdade de que no Brasil o Português sofreu algumas interferências e modificações, coisa que muitos validam como um erro e um retrocesso. Porém, nada posso dizer sobre isto, já que meus conhecimentos são parcos, duvidosos e, quem sabe, tenha até que agradecer por estas mudanças, graças as minhas limitações diante de tão lindo idioma.

Apenas crio histórias, assim me vejo, alguém que tem um dom especial de inventar contos, imaginar as coisas mais doidas e em muitos pontos de vista.

Eu desenho também. Uma atividade que me seduz desde a infância mais tenra, até os dias de hoje e, dizem, que por isso uso este conhecimento para descrever as cenas, tal qual uma pintura… é possível!

Eu, inclusive, fotografo e registro o mundo à minha volta quase compulsivamente, na busca da luz perfeita e da imagem que me traga satisfação. E desta maneira, no trabalho e por puro hobby, capturo a beleza de animais, plantas, árvores, comidas e da família querida.

Escrevo, desenho e fotografo… sempre! Minha mente foi feita para criar e faço isso o tempo inteiro, assim como o gordinho do Youtube que confessa a quem quiser ouvir – e de boca cheia –, que ” a boca é feita pra comer, que foi feito pra comer”, com a mesma força, eu fui feito pra criar.

Escrevo para que um dia alguém pare e leia – mesmo que isto aparente um sonho bobinho, um desejo infantil, já que nem todos que curtem e admiram meus textos são realmente meus leitores!

Ler o que o outro escreve, nem sempre é tarefa fácil. Sabendo disso, tento superar o meu desânimo e me nego a curtir algo que não tenha lido – treino para ser um leitor assíduo e bem real nos muito Blogs dos meus queridos colegas. Um desafio e tanto, já que a preguiça é sempre mais favorável e fácil.

Escrever, quem vive isto deve saber o que é esta febre.

Escrever é o meu melhor registro, minha melhor marca ao passar pela Terra.

Romances, contos e poemas! Uma busca impossível, dolorida e muito amorosa.

Pois, sem Amor… não há razão!

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios