TAG:

  1. Qual sua maior inspiração para escrever?
  2. Há algum sonho secreto e que queira revelar?
  3. O que te encanta?
  4. Como descreveria uma viagem dos sonhos?
  5. Como gosta de passar seu tempo livre?
  6. Qual seu estilo de livro preferido? Dê um título para exemplificar.
  7. Tem alguma frase, ditado, provérbio ou citação que norteia sua vida?
  8. Que período da história do mundo você gostaria de visitar, se fosse possível? Por que?
  9. O que você mudaria em você? Por que?
  10. Tem saudade de alguma coisa ou de alguém?

Ok! Tá lá, uma TAG para responder.

Tudo seria tranquilo e maravilhoso, se eu não tivesse a menor ideia de quem, quando e como!!! kkk

Simplesmente abri meus rascunhos por aqui e… Pá! Havia estas TAG para responder.

Como sou um cara oficialmente sem memória e não anotei mais nada sobre esta TAG, além das perguntas. Não sei quem agradecer, para quem mandar ou qual seja o nome desta TAG! kkk

Como disse anteriormente sobre minha vó: Responda a TAG antes que se esqueça de quem ou que deve respondê-la! Isso, porque ela morreu antes mesmo de existir a internet! Velhinha sabichona, né?! kkk

Desculpe a quem me indicou… viajei forte! :p

Vou responder em respeito a pessoa que teve o carinho e a lembrança em mim.

Se você ler as minhas respostas aqui e perceber que a TAG é sua, então, sinta-se respondida. 🙂

Bom, já que não sei quase nada desta TAG, a responderei do jeito que vier à cabeça e sem preocupações de agradar. Como se respondesse à mim mesmo.

Melhor ainda, responderei através de micro contos:

  • Qual sua maior inspiração para escrever?

Um viajante do tempo, amante de história e seus escritores, tem a felicidade de voltar no tempo e perguntar para o seu ídolo: Qual sua maior inspiração para escrever?

O jovem e abismado escritor, sem saber de sua fama futura, dando sinais de certa embriagues, responde sem pensar:

– A vida me inspira, o tempo todo, em todo momento e por vários motivos, desde os bons aos muito ruins! 🙂

  • Há algum sonho secreto e que queira revelar?

No último suspiro de sua vida, o bravo cavaleiro, que lutou fielmente e com todas as suas forças em prol de um castelo prestes a ver seu fim. É apoiado pelo seu companheiro e amigo de batalhas, que lhe pergunta:

Há algum sonho secreto e que queira revelar?

– Sim! Tô com uma vontade louca de comer uma pizza de mussarela, mas estou sem dinheiro neste momento! :p

(Obs: As respostas são minhas, o personagem é apenas um caminho para chegar até elas! kkk)

  • O que te encanta?

Depois de tanto tempo apenas observando e seguindo com os olhos sua linda amada, o jovem rapaz, desafiando as expectativas, cria coragem e com uma linda flor em mãos sobe a cerca viva de flores que leva até a diminuta varanda do quarto da meiga e suave garota, e lhe pergunta:

– O que te encanta?

Surpresa com a audácia do lindo rapaz, responde timidamente:

– A família, Game of Thrones, momentos de silêncio e o mar.

(Não se esqueça que a resposta é minha! rsrsrs) :p

  • Como descreveria uma viagem dos sonhos?

Os dois prisioneiros, há muito enclausurados na masmorra daquele castelo, conversavam através de um furo na parede sobre a vida e o que fariam fora daquele lugar imundo:

– Como descreveria uma viagem dos sonhos?

– Ah, meu amigo! Muito dinheiro para gastar, conforto, lugares paradisíacos e sem tempo de voltar! Com certeza! Respondeu com um belo sorriso no rosto, o velho pirata e esquecido para sempre naquele buraco isolado do mundo.

 

  • Como gosta de passar seu tempo livre?

Naquele bar pouco frequentado, em uma segunda-feira brava, apenas o chapeiro e o o único cliente fiel conversavam animadamente:

– Seu lanche está quase pronto, apenas aguardando a carne ficar bem passada, quase queimada, do jeito que você gosta, Zé! Se não fosse por você, creio que o dono desta espelunca nem sequer abriria às segundas! E riram da piada do chapeiro, homem feio como o cão.

O Zé ficou admirando seus traços horrorosos, e lhe perguntou:

– Mas, diga lá, se não estivesse trabalhando no dia de hoje, como gostaria de passar seu tempo livre?

– Praia, mar, surf e amigos! Um sonho quase esquecido, já que estou preso nesta vida dura!

 

  • Qual seu estilo de livro preferido? Dê um título para exemplificar.

Em plena entrevista de trabalho, a jovem estudante de Técnico em Biblioteconomia, sem experiência de vida e referências favoráveis ao pretendido cargo, é abordada pelo seu possível futuro chefe:

 

  • Qual seu estilo de livro preferido? Dê um título para exemplificar.

Ela pensou em vários títulos que lera com entusiasmo nos últimos meses, entre eles, até mesmo algumas leituras menos cultas e que expusessem sua imensa capacidade, tanto organizacional quanto intelectual, mas limitou-se a responder, um tanto tímida:

– Gosto de contos! Amo Érico Veríssimo! E calou-se imaginando que a resposta não fora a ideal, talvez devesse ter respondido algo mais profundo. Ela odiava aquela forte impulsividade jovial que estragava as coisas!

  • Tem alguma frase, ditado, provérbio ou citação que norteia sua vida?

O capitão estava impaciente, sabia que deveria escolher rapidamente o caminho a ser seguido, mas não poderia falhar, não daquela vez.

Pensativo, andava pelo barco em silêncio, evitando olhares e respostas definitivas, mas não tinha muito mais tempo. Buscava inspiração e algum sinal divino nos mínimos detalhes. Então, ao ver um de seus homens mais simples lavando o chão, perguntou de forma objetiva:

Tem alguma frase, ditado, provérbio ou citação que norteia sua vida?

– Sim, meu capitão: Non Dvcor Dvco.

O capitão sorriu, como se entendesse perfeitamente a revelação da frase e gritou em alto e bom tom:

– Para Sudeste! Imediatamente!

Que período da história do mundo você gostaria de visitar, se fosse possível? Por que?

O velho cientista, tido como maluco, mas que apesar de sua aparência desleixada e um tanto agitada, apertou bem o cinto de segurança de seu jovem aprendiz, depois se ajeitou em sua cadeira, naquela que seria o primeiro teste em humanos na sua Máquina do Tempo e com um estranho sorriso no rosto, perguntou sem esconder seus ânimos:

Que período da história do mundo você gostaria de visitar, se fosse possível? Por que?

O jovem, igualmente animado, respondeu:

– O futuro, professor. Do passado já sei o resultado, mas o futuro à Deus pertence, ou melhor, pertencia! E junto com a explosão de luz que envolvera toda a sala, um riso de dois malucos sumiu no ar, como se tivessem caído em um buraco profundo! HaHahahahahahahahah…

O que você mudaria em você? Por que?

Entristecido com o resultado de seu ato de coragem, o jovem policial, que agonizava de dor sobre a cama de um hospital militar, era minuciosamente examinado pelo experiente médico daquela divisão especial.

– Rapaz, seu histórico é muito bom, vamos fazer de tudo para que seja aproveitado. Tenha fé!

Ele, apesar de quase não ouvir o que se dizia ao seu redor, entre realidade e alucinções, sabia de que nunca mais seria o mesmo e que estava prestes a se tornar mais uma estranha experiência nas mãos daqueles malucos.

Dentro de si, em sua cabeça, entre zumbidos da enorme explosão que sobrevivera e as fortes medicações que estava tomando, pode ouvir uma linda mulher lhe perguntar:

– O que você mudaria em você? Por que?

Um corpo forte, sem dores e doenças no sangue, ou qualquer coisa que fuja de algo muito perto de um equilíbrio perfeito e saudável, assim como no passado! Se bem que um pouquinho de sabedoria não iria nada mal! :p

 

  • Tem saudade de alguma coisa ou de alguém?

Naquela ilha deserta, naufragado há muitos anos. Preso em um único lugar e com medo de ser visto pelos inimigos, o neurótico soldado japonês se escondia da guerra e da vergonha de ter sido derrotado. Seu melhor amigo era um macaco que ousava se apresentar vez ou outra, correndo o sério risco de virar comida nos dias de sofrida escassez.

A única coisa que realmente o impedia de devorar seu companheiro de ilha, era que em suas alucinações mais malucas, ele mantinha um longo e “saudável” diálogo com o macaco.

Em uma destas conversas, o macaco lhe perguntou:

– Tem saudade de alguma coisa ou de alguém?

O jovem soldado, olhou para o céu brilhante e repleto de estrelas. Respirou fundo, iluminado pela lua, maravilhosa, que refletia nas ondas daquele mar infinito. Não disse nada, apenas fechou os olhos lacrimejados e chorou baixinho!

Ai ai! Eita nóis! Belo questionário, pena que não sei de onde veio e para quem devo agradecer.

Gostaria também de ver uma resposta nestes moldes de alguns blogueiros cheios de ideias e histórias. Pode ser poema, ou não! Fiquem à vontade. Se quiserem responder, por favor, seria uma honra! Indico estes aqui:

Hang Ferrero: http://opontoafinal.wordpress.com/

Darlene: http://devaneiosepoesias.wordpress.com/

Fran: http://papodefran.wordpress.com/

Luis: http: https://byluis7.wordpress.com/?ref=spelling

Jaqueline: http://oeuinsolito.wordpress.com/

Ronaldo: http://ranchodoperegrino.wordpress.com/

Isabela: http://universoinconsequente.wordpress.com/

Lucas Palhão: https://lucaspalhao.wordpress.com/

Ok! É uma viagem e dá um trabalho danado escrever estas respostas, se acharem que não é viável, tudo bem! Aos que estiverem lendo este post, conheçam estas figuras acima. Ótimo Blog e excelentes pessoas! 🙂

Obrigado!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios