Estava ouvindo o vídeo abaixo, de olhos fechados, pensando em minha vida e num total silêncio, quando um forte cheiro de incenso tomou todo a sala onde me encontrava.

Não foi a primeira vez e, assim como da outra, não me preocupou em nada, até me fez feliz!

Se é milagre, se é coisa da vida ou coincidência, não sei! Só sei que foi uma bela oportunidade para escrever este texto:

 

 

Curto um pouco de isolamento! Escutar a mim mesmo, a minha mente.

Não sou melhor por causa disto. Se é de Deus ou se é chatice? Não sei, mas me isolar um pouquinho, num dia qualquer e sem pretensão, me faz bem.

No silêncio de meus pensamentos, minha consciência pode entrar em um processo de análise bastante eficiente.

Ninguém para te contradizer, para dar opinião contrária e nem favorável. Fluidez… deixar rolar!

Para os mais experientes neste tipo de vivência, muitas descobertas acontecem.

Você não costuma se isolar? Então, pense nisto.

Isto não é um conselho de pessoa superior, longe disto, apenas uma possibilidade que me agrada.

Não quero enganar, mentir e nem errar, apenas seguir em frente, de preferência com uma curva bem acentuada e considerável para o alto.

Hoje acordei um pouco saudoso de me sentir seguro, tranquilo, feliz e sem preocupações arrepiantes.

Se tivesse a oportunidade de desenhar um caminho, uma realidade que tornasse automaticamente verdadeira, conforme meus traços fossem sendo executados, acho que seguiria rumos incríveis! Quero, mesmo, crer que seria capaz disto e não daqueles outros caminhos tortos que a vida distraída parece nos empurrar.

Pensando assim, me isolei, me joguei para dentro de meus olhos, num cantinho qualquer do espaço imenso que há da visão para dentro e busquei imagens de encantamento para despertar a velha vontade de viver.

No escuro do meu quarto, saboreei  cada segundo, viajei nos sentimentos que me faziam falta no dia-a-dia que tenho levado e passei a construir, naquele instante, sentimentos renovadores, como se lá estivessem e fossem parte real da minha vida atual.

E assim, listei mentalmente o que me parecia necessário para me tornar mais feliz e pleno. Criando, vendo e absorvendo:

  • Andar descalço no chão de terra, bermudão velho e confortável, camiseta qualquer e com o vento suave correndo livre.
  • Paladar acentuado de menino, para tomar aquele cafezinho quente feito pela mãe querida.
  • Sentar em canto bem arejado, de sol matutino e ameno, próximo à sombra de uma árvore carregada de frutos, olhando os bichinhos no quintal e interagindo sem exageros.
  • Reconstruir um tempo em que segurança, coragem e a cabeça cheia de sonhos lindos inundavam meus dias.
  • Andar sem conflitos e opiniões discordantes e ofensivas.
  • Ter a oportunidade de estar comigo mesmo, em silêncio e feliz com minhas descobertas. Ter tempo e a felicidade de curtir meus momentos “solitários” de reflexão.
  • Andar de bicicleta nos finais das tardes, em busca de um amigo que me receba com alegria e a vontade de papear, desenhar, ouvir uma música, pedalar.
  • Me sentir forte e saudável.
  • Sorrir e ser aceito.
  • Ir à praia, curtir uma onda, não ter pressa de voltar e nem de me sentir atrasado para compromisso algum.
  • Não ter que concordar com opiniões divergentes em nome de algum interesse comercial.
  • Nadar por horas, sair cansado e voltar para casa.
  • Ir em festas com amigos e não me preocupar com horários.
  • Escrever histórias
  • Estar com a pessoa que amo e ela estar feliz por estar comigo.

Isolamento se faz necessário e ao contrário do que se pensa, enche minha vida com pensamentos renovadores.

AUM…

Anúncios