Escrever em um Blog público e aberto a qualquer um, é não ter medo de dar a cara a tapa?!

Não sou o dono da verdade. Não mesmo! Porém, têm umas paradinhas rolando por aí que faz a gente ficar maluco.

Pra não explodir com tanto pensamento na cabeça, percebi que o jeito é sair escrevendo e mandando ver por aqui. Descendo a letra no meu bom e velho Blog.

Isto não me faz o Sabichão Dono da Verdade, nem o Rei da Montanha, por isso, duvide dos meu questionamentos… sempre!

Como já disse em textos anteriores, minha luta interna é com a finitude humana e toda esta maluquice sobre temas relacionados, que rolam soltos por este mundo afora.

Deus e sua aparente “distração” e falta de reação é um destes muitos temas, também.

Se sou ateu?! Bom, não tenho religião, não encontrei a que mexeu comigo. O que talvez já te faça me julgar um libertino jogado pelo mundo. É bem verdade que tenho andado um tanto quanto jogado pela vida, mas se levarmos em conta que a Terra é só um pontinho no meio de um todo… acho que tô bem largadão mesmo! Quem sabe explicar estas paradas?

Já fui em muitas igrejas e templos, mas confesso desanimado que não encontrei nada em nenhuma delas. Nada mesmo! Não me julguem, cada um no seu tempo, ou melhor, tem uns que não têm tempo que convença! E eu estou bem desconfiado que sou uma dessas pessoas.

Mas, espera lá, “Violenta” Genciana! Nem por isso te acho acima em nenhum momento, pode crer.

Sou pessoa comum. Observador atento e um cara cheio de opiniões e manias.

Piloto astuto de um Chevrolet das antigas, que dirige cauteloso e sempre ligado nos muitos detalhes que esta cidade tanto gosta de apresentar.

E nestes muitos momentos, entre lindos e outros nem tanto, NUNCA VI DEUS. E não me orgulho disto, não mesmo. Adoraria um papinho com O CARA.

Já tive momentos divinos e leves, mas Ele não me disse nada, nadinha mesmo, e isto irrita pra caramba. Me sinto um idiota sem rumo e sem explicações. Remédio sem Vide Bula.

Ok, quem sabe se tudo não passa de um grande acaso?! Pode ser também!

Fé é crer sem ver? Então, sorry Mr God, vai ter que se esforçar mais. A coisa tá feia demais para se trajar de defensor convicto de algo que não cheira e nem fede.

O “Chevrolet Velho” muitas vezes citado em meus textos, é obviamente a representação mais próxima da minha própria vida, deste corpo carnal e cheio de problemas reais.

Dá -lhe, Chevrolet! Aguenta firme!

Chevy, uma marca boa e forte, é verdade! Ainda mais para aqueles anos de 1970. Que beleza aquela época! Saudade de toda a cafonice daquele momento, mas cheia de inocência e simplicidade.

Olha lá quantos anos se passaram?! Quase nem lembro direito as muitas coisas que aconteceram. E, creia, não foram poucas.

As varias pessoas que passaram por esta janela!

Dá até uma pontinha de tristeza, mesmo eu não sendo um cara saudosista. Não mesmo!

Creio que sim, olharei com saudades das muitas aventuras que ele me arrastou durante todos estes anos.

Vejo emocionado esta minha velharia se partindo! Cheia de remendos e gambiarras.

Tudo bem! Sigo em frente! Mesmo que tão descrente quanto o malabarista de rua, que desanimado, nas madrugadas paulistanas, assim, sem brilho, sem motivação, mãozinha esticada nos vidros fechados, pedinte cabisbaixo e olhos distantes: – Dá um troco aí, tio?

 

 

Anúncios