Não quero dividir minhas dores com ninguém! Não mesmo!

Vai pro seu canto que tenho um negócio ruim pra carregar comigo aqui e não te quero por perto. Hoje não!

Na dor a gente se torna mais humano, mais humilde e quer Deus consigo! Mesmo nem entendendo como esta coisa toda funciona.

Só alívio, esta é a busca e nada mais!

A dor dos outros parece uma coisa tão distante, não é mesmo?

Dor de topada, dor de velhice, dor demorada e sem explicação, dor sem sentido!

A dor te aponta a tal da finitude que tanto falo e que me estremece por dentro. Não por medo, mas muito mais por mudança.

Mudança é tema longo por aqui, na minha cabeça, algo que aceito aos poucos em mim, sem desespero.

A dor é invasora e indesejável, mas é, assim como a morte, franca e honesta, um dia virá! Saiba lidar com ela.

Se José sente dor, coitado de José!

Se eu sinto dor: AAAAAAAAAAAh! Merda! Odeio dores!

Como se viravam os antigos, naquelas dores sem fim? Sem remédio e sem meios de amenizar?

Que coragem era aquela de se enfiar em guerras?! Já imaginou o corte de uma lâmina?! Em qualquer parte que fosse?

Coragem ou estupidez? Sei lá! Os dois, talvez.

Uma espada enfiada na perna, um braço arrancado, uma garganta atravessada… Caracoles! Pensa nisso aí. Pode crer, não é normal! Tô fora! Odeio só de pensar e digo que não aceito bem nem cutícula machucada, imagina isso aí?

Dor é coisa chata, prefiro não tê-la. Sou fraco pra isso e honesto pra caramba. Odeio dores de qualquer espécie!

Hoje acordei com ela me rodeando. Que bosta! Nada bom! Mesmo!

Dor me faz arregar no ringue da vida. Essa é luta vencida! Erga o braço do outro e me deixem em paz!

Me dê uma coisa qualquer pra voltar a não sentir nada! Eu aceito!

Se fosse lutador do UFC, me jogaria no chão no primeiro vento da luva próxima ao meu rosto.

Comigo, uma perseguição não seria maior que 2 metros de distância. Assim, ameaçou ser uma perseguição? Então, pararia o carro e sairia de mãos para cima. Me jogaria no chão e me entregaria quase que imediatamente! Sem tiros, sem capotagens e sem dor!

Se eu fosse o Hercules? Os Doze Trabalhos nem existiria. Isso deve gerar muita dor!

Não lutaria por ninguém se fosse Aquiles, nem sequer teria machucado meu tendão.

Não seria pirata, porque me parecem alvos fáceis de perdas consideráveis de suas partes do corpo. Não quero uma perna de pau, nem olho de vidro e nem ganchos no lugar dos meus queridos dedinhos! Nem pensar.

Não poderia ser policial, não correria este risco.

Bombeiro? Anda perto demais da dor, os das vitimas e as deles mesmos.

Não ando em pedras na praia, não vou em cachoeira, nada de surf, skate, bicicleta, luta, futebol, rúgbi, basquete e pólo aquático!

No sexo? Nada de sadismo, masoquismo, ou qualquer “ismo” que me dê dor! Um cara morno e sem graça, pode ser, mas longe de dor! Por favor! :p

Tô fora! E pra fora permanecerei! Assim… bem tiozão na minha!

Nada que dê chance para que a dor venha mais rápido em minha vida.

Se a dor escolher nunca vir, melhor! É uma boa opção! Um sonho!

Chega de dores e amores que geram dores! Diante da dor, não há amor!

Acredite! Serei mais risonho, comunicativo e  mais feliz assim… sem dor!

Sem mais e não mais!

 

Anúncios