– Que me falte tudo, menos a coragem!

Esta era a minha frase de efeito há muito tempo atrás, em uma época tão distante que já nem me lembro daquele cara. Daquele eu!

Se eu o encontrasse, acho que ele teria um choque!

– Pois é, doidão! Envelheci… foi mal! Não teve jeito.

Hoje, talvez você me ache estranho. Acostume-se e pare de me cobrar, não tenho nada a ver com aquela época loka! Cheia de energia e bagunça, não mesmo.

Sentei aqui na minha cadeira com a memória acelerada em outras épocas, em outro eu! Como se devesse alguma explicação. Sai fora! Procura outro, assombração.

Precisava me ver com a testosterona explodindo em meu corpo. Creia, nada poderia me deter. Nunca!

Na real eu viajava nesta ideia… adolescentes! Puft!

E o mesmo se encaixava principalmente naquilo que eu não desejava. De verdade!

Ok! Ainda não faço o que não quero. Isto inclui festas! Blargh! Gente demais, conversas demais e nenhum assunto que se conclui! Não me levem a mal, querida família! kkk

Hoje, um pouco mais velho, ou melhor… beeeem mais velho, com algumas merdas crônicas que circulam neste sangue da porra, me permito envergar, declinar, esmorecer e me fazer de trouxa.

Aquele ser cheio de energia, opiniões e força física, podia explodir diante de seus olhos e ir tirar satisfações na sua porta sobre aquele mal entendido, hoje apenas se faz de bobo… #xáprálá!

Eu me tornei outro, me entreguei e já não tenho o mesmo caráter forte de outrora? Mais ou menos isso. Talvez esteja até melhor! Dizem até que sou mais carinhoso e amável! Acredita?!kkk

Me permiti a ignorar alguns assuntos, simples assim. Quem me conhece hoje pode ter a estranha sensação de que aquele moleque engraçado, acolhedor e ao mesmo tempo explosivo, morreu!

Eu, de dentro de mim, percebi que apesar daquele cara ser uma figuraça, também percebeu que a vida não é bem assim e nem se resolve tudo daquele jeito. Nem tenho vontade disto. Me tragam um copo de paz, por favor!

O mundo corporativo, profissional, o pai de família e o marido companheiro me ensinaram bastantes coisas nestes últimos tempos. Pode crer!

O menino porra loka, percebeu que certas posturas não combinam e não facilitam em nada, por isso, resolveu crescer. Ou dar um tempo? Pode ser!

Apavorem-se, Senhores Síndromes de Peter Pan, dei um chega pra lá na infantilidade e decidi envelhecer mesmo. Ué! Porque não?

É ruim? Faz falta? Pois é! Tudo isso e muito mais, você nem vai acreditar! Envelhecer é muito estranho!

Pé na bunda e soco na cara? Ok! A expressão é bem infantil, eu sei! Mas, apesar de toda a minha caretice e seriedade, acredite, aquele moleque está aqui ainda. Muito provavelmente esperando uma oportunidade para dar um rolê por aí, sem grandes preocupações e atitudes.

Rolê de paulista, com acento circunflexo no “e”. Assim, de ir em samba e não dançar, de gritar falando e rir alto pra porra! Um cara de periferia que vive na Mooca! Um estranho na Terra de gente escandalosa, mas que é pura alegria. Boas pessoas!

Cale-se por enquanto moleque, deixa o tiozão tocar um pouco desta vida, pra ver se a gente consegue chegar inteiro até o final.

Estou carregando nós dois por aí. E em sua ausência carrego corajosamente esta nossa história.

Admito a falta de força, de inteligência, de disposição, do espírito competitivo… mas a coragem, não! Nunca! Jamais!

Se segura aí, a gente se vê lá na frente moleque.

Te encontro quando a coragem acabar! 🙂

 

Anúncios