Dona Maria é pessoa simplinha e cuidadosa, passa várias horas do seu final de tarde varrendo a calçada, bem em frente de sua casinha, todos os dias.

Aqui da rede de onde a observo, vejo que o sol vai indo embora, os pássaros se recolhendo num estardalhaço fantástico, as crianças vão puxando seus quadrados do céu alaranjado e os cães apenas ladram. Que coisa! Que vida boa e danada esta, não é mesmo?!

Não sei se dei sorte, ou se todos têm sentido esta energia gostosa que vem passando por aqui! Só sei que parece que o povo desta minha vila, de onde moro, anda nesta mesma paz e tranquilidade.

Creio que sabem desta energia poderosa, assim como eu!

Me lembrei de um passado longínquo e querido. A Dona Maria já era uma senhora querida naquela época. Porém, mais nova, mais ligeira e disposta. Sua varrição combinava com outras velhinhas que ali moravam, num arrasta arrasta de vassouras sem fim!

Uma daquelas velhinhas era minha mãe!

Acho que este solzinho, que se despede deste dia, e que parece estar igualmente varrendo o céu, com suas cores laranjas e violetas de tempo morno, mais o cheirinho incrível de café passado agorinha e o check-check da vassoura na calçada da Dona Maria, conseguiram me remeter aos bons tempos de infância! Aos bons e suaves tempos de infância!

Sinto paz e uma tranquilidade sem fim! Saudade existe, mas esta aqui é bobinha, honesta e cheia de Amor!

Espero que a Luz que bateu aqui bata aí também!

Que você tenha e mereça estes lindos finais de tarde, assim como os que tenho visto por aqui!

Encerro minha admiração, pois o sol já desapareceu atrás do morro, os vaga-lumes começam a tomar conta, junto com esta brisa geladinha que, com certeza, valoriza ainda mais o café e o bolo de milho quentinhos!

Rezo para que estas primeiras estrelinhas lá do céu enfeitem com a mesma graça o que tenho por aqui e iluminem muito mais sua alma do que o próprio céu!

Fique bem… fique em paz… tá tudo bem!

É o que desejo especialmente pra vocêl!

Obrigado! 🙂

Anúncios