De certo que você não queira admitir, mas quem desejaria afinal? Porém, se você parar pra reparar com atenção, perceberá que falo sério.

Não há quem passe por este mundo e não tenha aquele calo que sempre aperta do mesmo jeito! Sempre do mesmo maldito jeito, como se fosse um filme repetido, um repeteco de ontem dando as caras no dia de hoje, mesmo que seja de um jeito meio assim… disfarçado!

 

Eu sei, você deve estar se perguntando: – Mas, o que será que este cabra da peste tá dizendo, vici?! [acho que já falei da minha preferência pelo sotaque nordestino por aqui… pois é! Ainda continuo achando este sotaque perfeito para minhas perguntas mentais! rsrs]

Não se avexe, não! Estou falando de algo muito simples. E esta coisa se chama: Sina!!!

 

Sim! Sina é o mesmo que destino, fatalidade, fado… sorte!!! Ora pois, se você ainda não tenha entendido, vou me fazer entender, preste bem atenção!

Falo daquela coisinha que sempre encrespa, enrosca e te atrapalha a vida, quase sempre do mesmo jeito, da mesma maneira e simplesmente empata a vidinha do caboclo de um jeito nada surpreendente! Apenas, o cara olha pra tudo aquilo que está acontecendo e se pergunta o porquê de estar passando de novo por aquilo! Sabe como é… pois é… e é!

 

Parei para perceber, perguntar e tirar minhas dúvidas. Não é que cada pessoa desta vida de meu Deus, nosso Senhor, tem lá seu enrosco, e que esta coisa que atrasa um lado é sempre a mesma?

 

Tá lá, pode reparar! Uns é o médico que não dá certo. Simplesmente não rola. O senhor doutor, que deveria ser rápido e eficiente, inexplicavelmente não consegue ajudar. Cura todo mundo, medica um monte de gente, resolve que é uma beleza, mas chega no pobre do infeliz… nada!!! não resolve nem que a pixorra! Enrosca! Insuportável mesmo! Desagradável no último grau e sem explicação.

 

Aí tem aquele que compra mas não leva! Tudo, ou quase tudo, sempre vem com aquele defeito inexplicável: rádio que vem sem pilha, TV que não funciona a entrada hdmi, lanterna que vem queimada, chuveiro que não esquenta, fogão que precisa adaptar antes do uso, geladeira que está barulhenta demais, enfim… um mundo de coisas compradas que nunca vêm no jeito! Aquilo que para os outros é comum e simples, mas não para ele: Plugue e ligue, liga e funciona, tira da caixa e usa.

 

Outros sempre tomam multas, haja o que houver. Em lugares absurdos e impossíveis de se tomar uma multa… tá lá o otarião, multado! Ele se bate, chora, reclama e não consegue se livrar desta marcação cerrada dos olhos infinitos da lei! Domingo às 10h da manhã, ninguém na rua, absolutamente, mas é só ele entrar na padaria rapidinho e pronto… multado!

 

Remédios que nunca funcionam, coisas que se quebram, ônibus que não param, bêbados que te acham no meio da multidão, chuva na praia, encontros que se desencontram, cachorro que te persegue, copos que caem da sua mão, crianças que te detestam, TVs que não funcionam, roupas que se rasgam na última hora, maquiagem que some no dia mais importante da sua vida e uma infinidade de estranhas coincidências que se repetem muitas e muitas vezes, assim, sem mais nem menos, por milhares de vezes em sua vida, como um replay estranho do universo.

Um repeteco infinito e sem explicação para te ensinar!

Mas, o que? Porque? Quem? Qualé que é?

 

Do que se trata esta cansativa e irritante lição?

Por que este jeitinho repetitivo de ensinar, de fazer acontecer tantas vezes do mesmo modo e da mesma maneira, meu Deus do céu?

 

É isso, não sei e nem entendo o porquê!

Presta atenção para esta minha pergunta, porque agora é sério: Qual é a sua sina?

Sim, pode crer, você pode até não ter percebido, mas ela está lá… te esperando!

 

Sim… note e verás… ela está lá!

 

Anúncios