Há temas que são polêmicos e, por isso, talvez seja melhor não falar, a não ser que se queira isso mesmo.

Aprendi que as pessoas levam consigo um ódio maluco, uma revolta contida e a estranha vontade de ir às vias de fato.

Melhor não, vamos falar de outras coisas e fingir que não percebemos no kipá na cabeça do judeu, pois ele pode ter acordado cedo demais, ter perdido um troco na padaria, brigado com a mulher, e aí? Briga! Posso sair como um anti-semita, sem nem ao menos saber exatamente do que se trata esta palavra com propriedade. Talvez, o judeu não perceba que, na real eu só estava tentando entender seu gorrinho e suas roupas antigas.

Tudo é preconceito e discriminação. Estamos em uma época estranha, com ódios controlados e prestes a explodir, é verdade. Por isso, eu recomendo andar discreto, sem grandes alardes e alegrias exageradas. O excesso e a descontração de ser humano livre e distraído pode trazer sérios problemas.

Desculpem as feministas, machistas, negros, gays, judeus, brancos demais, exageradamente altos, muito baixos, banguelas, carecas, pessoas com vitiligo, amputados, entre outros muitos motivos, eu não quero o seu ódio, nem sua indignação e revolta. Eu já não falo sobre isso, não mais. Melhor não.

O mundo, este no qual vivo, está bem pirado, mesmo! Qualquer movimento em falso, uma palavra errada e eu posso me ver em uma situação que não desejo. Odeio ter que me explicar, ou melhor, tentar explicar algo que me parece comum e que não deveria nem pensar em ter que ser cuidadoso demais. Lógico que existem casos e casos e ser educado, discreto e respeitoso é sempre o melhor caminho.

Tem gente que não sabe se conter, andar de forma educada e sem estardalhaço! Desajeitado por natureza, ou por educação, não tem o jeito, sempre causa revolta e inconformidades, anda por aí sem entender porque pessoas como eu preferem viver assim, distante destes assuntos.

Teve um cara aí que andou pregando o Amor ao próximo, tudo bem que fiquei sabendo que não acabou de forma muito legal, parece que teve uns problemas aí. Mas, no geral, o recado e o exemplo foi legal. Só pecou pelo exagero, por isso, pagou o pato. Ele me ensinou também que é melhor ficar na minha, sendo assim, não falo de certos assuntos. Sempre rola um cidadão mal resolvido, inconformado com a vida e que pode te dar dor de cabeça.

Ei! Vai pensando que não conheço um bom preconceito quando vejo um, não cai nessa não! Sei e vou te dizer… dói pacas!!!

Meu problema é o excesso de peso, uma eterna briga pessoal e intransferível. Essa coisa toda já me gerou tantos problemas que me arrasto com uns bons traumas até hoje. Por isso, vamos deixar este monstro interior no cantinho dele… é melhor assim!

Já vi pessoas queridas, irmãos de coração, que foram terrivelmente preconceituosos comigo em um momento da minha vida em que não poderia ter acontecido, naquela hora em que eu precisava de ajuda e compreensão… foi feio! Porém, continuo os querendo bem e, até mesmo, por saber que na época tínhamos ainda tão pouca idade, consigo compreender e perdoar… Xá Prá Lá! :p

Ei! Não pense que sou um ser evoluído e mente aberta, sem os meus próprios preconceitos, travas e ignorâncias, isto não é real. Acho que tento, mesmo sem saber se consigo, é não agir por impulso e raiva sem sentido. E se deixei em algum momento escapar algum sinal destas minhas fraquezas, desde já, peço mil desculpas, ainda estou em processo de evolução… assim como você!

A solução?! Mais uma vez, desconfio que não a tenho, ou se tenho nem sei explicar. Lembra que disse estar em processo de evolução, pois é, isto é real!

Creio que devemos andar mais na boa, nos colocar no lugar dos que ainda falham, mesmo que miseravelmente, e deixar o tal do Amor, aquele que o maluco que citei tanto falou, entrar em nossas vidas com mais frequencia e, até mesmo, perdoar! A vida é isso, uma experiência sem fim, então, porque não tentarmos executar e experimentar o lado mais positivo disto tudo?!

Eu pessoalmente estou nesta… estão todos perdoados e tá tudo certo!

Anúncios