É Agora ou Deixa Quieto?

Assim como o Duas Caras ando deste jeito, meio que em dúvidas e me agarrando em amuletos e coisas afins para me decidir. Ah lá, assim sou eu… pessoa comum na luta do dia a dia. Mas quem não é?!

Foi assim que criei dois personagens do nada e que vêm me seguindo desde então. São até bem simpáticos e cordiais, apesar de suas formas gigantescas e felpudas, tal qual dois gorilas coloridos que me seguem desde então. Seria engraçado e até companhias bem interessantes, se não fosse a dependência que criei com suas presenças. Parece que vivo na base destes dois seres, o É Agora e o Deixa Quieto!!! Sei que estes são seus nomes, pois são estas duas únicas palavras que conseguem pronunciar.

Não sei se é o momento do país ou se sempre foi assim, mas mesmo com tamanhas dificuldades e a pouca ajuda dos governos, as oportunidades estão aí pra quem souber usá-las. Não conseguiria esconder este terrível medo de falhar, mas parado é que não posso ficar. E justamente este Medo, o causador de tantas dúvidas e pouca ação, quem deu a oportunidade do surgimento de tais figuras.

Estes personagens estão bem presentes em minha vida, sem meio termo, e assim, tenho agido desta maneira: ou vai, ou racha!

As vezes não os vejo como grandes amigos, mas concorrentes incansáveis de minha atenção e preferência, tanto que sinto muitas vezes a vontade de isolá-los, mesmo sabendo não ser possível, porque não há a menor possibilidade de colocá-los na mesma sala e tentar bater um papinho amigável, já que um anula o outro instantaneamente, como água e óleo. Juntos, eles não funcionam, pior do que isto, têm o poder de me travar e me deixam em um estado quase catatônico, como uma gripe ou uma paralisia, daquelas que destroem sonhos, atitudes e coisas neste “nipe”.

Se digo para o É Agora que vou meter as caras e cair pra cima, pra mim isto é muito intenso e quase sem volta, corro o sério risco de me desgastar e lutar com todas as minhas forças em algo que, em muitos casos, não tem retorno algum, só causam cansaço e enervam demais. Geralmente, com o É Agora, saio me perguntando o porquê de tanta luta em algo que só me detonou?! Isto serve para trabalhos, amizades, romances e muitas outras coisas que merecem uma atenção especial.

Porém, o mesmo acontece com o Deixa Quieto. Ele quase nunca me traz alegrias e glórias. É horrível perceber que o momento se foi e que o tão procurado êxito foi pro vinagre por falta de atitude. Tudo bem que, não raramente, me vejo aliviado por não ter me enfiado em certas situações. Acho até que estou vivo gracas a ele!

Isto é um jogo, assim como um Pokemon maluco dentro de uma bolinha, que deve ser solto de seu plano dimensional na hora certa e com a estratégia correta.

Deixar prá lá ou pular pra dentro da luta, qual a coisa certa a ser feita? Boa pergunta!!! Não sei!

Ok, a “batalha” está aí e a resposta pra este enigma eu não tenho, mesmo. E de certa forma, ninguém a tem, mas existe uma maneira de entender a atitude correta pra usar seu Pokemon: positividade!!!!

Ser positivo em primeiro lugar, em seguida analisar friamente se o que você tem diante de si vai ser uma boa. Se você deve ou não encarar um novo desafio não é nada fácil, mas somente com a alma cheia de pensamentos positivos e carregado de uma energia empolgante vale encarar qualquer desafio!

*Obs1: Escrevo sob os aplausos de É Agora e a desconfiança de Deixa Quieto.

 

Anúncios